sábado, 19 de abril de 2008

É Teu este momento de adoração

Nestes dois últimos grupos, tivemos a oportunidade de experimentar mais uma vez o Senhor. Primeiro em sua presença Eucarística e depois na Palavra e na oração.
Na semana passada (09/04) o Senhor veio nos visitar de maneira especial no Santíssimo Sacramento. Mais que um grupo de oração foi um grupo de ADORAÇÃO.
Tivemos a exposição do Santíssimo, e um momento de profunda comunhão com Deus. Estar na presença de Deus, de Jesus Sacramentado, é uma graça que muitas vezes nos parece corriqueira cotidiana. Estamos até "acostumados" a contemplar o Santíssimo.
Mas há muitos lugares em que esta graça não é assim tão abundante, em que o Senhor não é tão acessível quanto tem sido para nós. Não porque ele não queira, mas porque barreiras humanas o impedem.
Tenho certeza que este momento de adoração no Grupo foi rico, como sempre é rica e abundante de graças a presença do Senhor.
Creio que muitos corações foram tocados, transformados, consolados, preenchidos, animados...
Mas será que tiramos todo o proveito que este momento nos proporciona? Será que nosso coração se abriu em sua máxima extensão para receber tudo o que o Senhor veio nos dar?
Precisamos estar atentos para que nossa relação com Jesus, nossa relação com Deus não caia numa rotina, não seja corriqueira, comum.
E é justamente este alerta que Jesus veio nos trazer na reflexão do grupo desta semana. Realmente AMAMOS o Senhor? Estamos realmente de coração aberto, buscando-o incessantemente?
Deus nos revela sua vontade pela Palavra. E a Palavra nos diz na Primeira Carta aos Tessalonicenses: "Em todas as circunstâncias, dai graças, porque esta é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo". (I Tessalonicenses 5, 18).
É vontade de Deus que o louvemos e demos graças em tudo. E tudo é TUDO. Nas alegrias, nas conquistas, mas também nos momentos de dor, nas dificuldades.
O que o Pai deseja é que o amemos, como nos revela o Evangelho de São Mateus: "Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito" (Mateus 22, 37).
E amar a Deus é uma questão de atitude. Devemos buscar a Deus, desejar vê-lo, desejar estar com Ele. Como um namorado que espera ansiosamente a hora de encontrar a namorada.
Devemos buscar agradar a Deus, como um namorado que até muda hábitos e corrige atitudes para agradar a namorada.
Devemos ser Igreja, e sendo Igreja, ser a Esposa de Cristo. Mas, o convite que Jesus nos faz é para sermos mais que isso "eternos namorados", que valorizam cada encontro, cada oportunidade de estarmos juntos.
Já dizem os mais velhos que os casais que dão mais certos são aqueles que vivem como eternos namorados.
Busquemos então viver esta relação de um amor a Deus sempre renovado, para que não venhamos a ouvir da boca de Jesus, como ouviram os fariseus: "Este povo somente me honra com os lábios; seu coração, porém, está longe de mim." (Mateus 15,8)
Mas, antes, tenhamos um coração aberto, liberto, amoroso, que adora o Senhor "em espírito e verdade" (ref. João 4,23)
Fiquemos todos na Paz de Cristo.
Fernando Fefs
MFV

Um comentário:

Elaine Aparecida Teixeira disse...

A Adoração que aconteceu no grupo foi maravilhosa. Sentir-se, de fato, na presença de Jesus é algo tão grandioso que não dá para explicar.
Como foi refletido no grupo de quarta-feira passada, louvar a Deus em qualquer circunstância é dizer que Deus é maior que qualquer situação.
Nessa semana fiz a experiência de estar sempre alegre e de sempre louvar a Deus, depois do louvor as soluções dos problemas logo chegaram, na maior parte das vezes as soluções estavam em mim mesma, era preciso uma mudança de atitude ou uma mudança de visão da realidade, um ensinamento de sabedoria que só Jesus pode dar e o louvor foi o momento propício para isso.
Também me tocou muito a homilia do Padre André de quarta-feira, em que ele disse que Jesus já nos ensinou como devemos viver e agir, apenas cabe a nós segui-lo ou não. O Caminho é Jesus.

Elaine